Palete multiuso

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares

A máxima de que menos é mais nunca foi tão verdadeira na hora de decorar um ambiente. Aliado a isso, a moda de utilizar tudo ecologicamente correto abriu um leque de opções para diversas tendências, que antes sofriam certo preconceito quando o assunto era decoração. Além disso, alguns materiais, antes completamente ignorados na hora de planejar um ambiente, ganharam lugar de destaque, como é o caso dos paletes.

Material mais versátil não há. É possível produzir infinidade de móveis tanto para a área interna quanto para a externa, incluindo sofás, camas, mesas de centro, fruteiras, sapateiras, caixotes para hortas e por aí vai. De acordo com a arquiteta Carolina Vilela, de São Caetano, as vantagens e desvantagens de utilizar os estrados de madeira são diversas. “O palete é rústico e nada sofisticado, mas a versatilidade e o preço são pontos a favor”, explica.

Apesar de não ser um material considerado de ‘luxo’, é possível trazer requinte aos móveis criados a partir dos paletes utilizando outros um tanto mais ‘chiques’ como vidro ou mármore. “Para projetos mais sofisticados a dica é procurar mesmo por materiais mais nobres”, garante. Já para quem aprecia decoração com toques rústicos ou se a verdadeira intenção é decorar as áreas externas como varanda, churrasqueira ou piscina, não há nada que permita ao ambiente ficar despojado e aconchegante ao mesmo tempo.

CRIAÇÃO

Outra vantagem é que a facilidade de se trabalhar com esse material é tão grande que é possível criar seu próprio móvel. Basta planejar com cautela e ir em busca dos estrados de madeira, que podem, inclusive, ser conseguidos de graça.

Fora que, para quem tem talento, disposição e tempo, pode ser uma boa oportunidade de complementar a renda familiar. Foi o que fez Alcione Beltrame Gutierrez e o marido, Marcelo Gutierrez, da Tudo em Paletes, de Santo André. “Ganhei uma peça de uma amiga e pedi para o Marcelo fazer um jardim vertical para mim. Ele fez e eu lixei, pintei e publiquei foto no Facebook”, relembra.

Era o empurrão que faltava para a brincadeira ficar séria. Depois disso, diversas pessoas se interessaram e pediram orçamento. Atualmente, Alcione conta que as mensagens com pedidos vêm de diferentes lugares do País. “Há um ano e meio começamos e o trabalho é tão legal. Até hoje não ficamos sem encomenda e entregamos pelo menos três ou cinco peças por mês”, garante. As criações são executadas de acordo com a necessidade de cada cliente. “A maioria é feita sob medida. Salvo algumas exceções, porque a internet está ai à disposição de todos”, comenta.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados