O Limite? Até onde você quiser

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares

Fabiano Lacerda, 34, eliminou 103 quilos em um ano e garante que qualquer um pode se transformar, basta ter força de vontade

“O que não te desafia, não te transforma.” A frase é de um autor desconhecido, mas poderia muito bem ter sido dita pelo publicitário soteropolitano Fabiano Lacerda, 34. Muito acima do peso, em outubro de 2014 foi desafiado por amigos e familiares e alcançou o feito de eliminar mais de 100 kg em um ano sem remédio ou cirurgia. Com a conquista aprendeu mais uma lição: todo mundo é capaz de fazer o que e quando quiser, as únicas exigências são foco e dedicação.

Não bastasse o feito, o ex-obeso faturou em novembro o primeiro lugar no WBFF Brasil (considerado um dos maiores concursos de beleza fitness do mundo) na categoria transformação. Outra conquista que o novo peso proporcionou foi voltar a subir em uma bicicleta após 20 anos. O agora atleta treina para uma prova de Ironman (modalidade de triathlon de longas distâncias), além de se preparar para o momento mais esperado desde que eliminou tantos quilos: a cirurgia estética para retirada de pele. Com o procedimento, os médicos estimam que ele elimine mais 20 quilos. A previsão é que a intervenção seja realizada até o fim de junho. Confira a seguir, pelas palavras do próprio Fabiano, como foi a empreitada.

“Sempre tive peso acima do normal. Quando criança, mesmo sendo praticante de esportes, era o gordinho da turma. Mas foi na vida adulta, aos 20, que entrei de vez no sedentarismo e vi o tamanho das minhas roupas aumentar significativamente. Como tudo na vida tem seu preço, paguei o meu por ser gordo. A cada vez que engordava, precisava comprar roupas novas. Cada vez que ia ao cinema, as pessoas na fileira olhavam para mim como se orassem: “Deus, por favor, não deixe que esse cara gordo sente ao meu lado”. Minha saúde sempre foi boa e, talvez por isso, insistisse em continuar do jeito que estava. Mas, no fundo, me sentia muito incomodado, só não sabia por onde começar e de que forma continuar.

Em 2014, já pesava quase 200 Kg. Meus colegas e familiares apostaram que não conseguiria perder 60 Kg em seis meses sem remédio ou cirurgia bariátrica. A proposta veio no dia 15 de outubro de 2014, durante o horário do almoço. Óbvio que neguei, mas com o passar dos dias, mais pessoas aderiram e o valor não parava de aumentar. Comecei a ficar seduzido pelo montante, sobretudo quando meu pai entrou com um lance extremamente atraente. Foi a motivação que precisava, então, decidi entrar na 'brincadeira'.

A grande oportunidade da minha vida estava ali e bastava eu aproveitar, independentemente de como seria lá na frente. Tinha consciência de que era difícil, mas topei e levei toda a grana no quinto mês. Como precisava de mais motivação, decidi chegar aos menos de 100 kg no período de um ano. Depois que ganhei, busquei outros desafios, como o de permanecer com o mesmo peso. O valor da aposta? Não revelo! (risos). O que posso dizer é que investi o dinheiro em mim, me aprimorando a cada dia, e também no livro que escrevi, A Aposta: As Motivações que Encontrei para Perder mais de 100 kg (Edição do Autor, 120 págs., R$ 35, em média).

Claro que durante o processo, senti um frio na barriga. Tive medo de fracassar, mas segui em frente. Contei com o apoio da minha família e procurei ajuda de profissionais. É necessário acompanhamento especializado. Sempre faço questão de salientar que emagrecer muitos quilos sozinho é arriscado e que o ideal é contar com equipe multidisciplinar que ajude no processo. No meu caso, tive a sorte de ter educador físico, nutricionista, fisioterapeuta e, é claro, fazer exames que detectaram meu estado de saúde antes, durante e depois do desafio.

Uma coisa muito interessante que descobri durante a caminhada é que esse apoio profissional não me ajudou apenas a perder 100 kg e a vencer um desafio, mas colaborou – e muito – em outros aspectos de minha vida. A qualidade do meu sono, por exemplo, se elevou. Hoje durmo mais horas e não sofro tanto com minhas insônias, que eram frequentes. O acompanhamento adequado me levou até mesmo a melhorar meu cérebro.

Conforme emagrecia, fui me conhecendo cada vez mais e descobri que força de vontade se conquista diariamente. A aposta foi só o gatilho da minha mudança. Passei por jornada de autoconhecimento e ganhei muita autoestima e disciplina. Antes disso, nunca tinha enfrentado nada que me desafiasse de tal maneira, mas gostei tanto que sempre procuro um novo desafio.

O que mais mudou foram, óbvio, os 103 quilos que eliminei. Isso é mais da metade do que eu pesava. Algumas coisas que faço hoje, mesmo as tarefas mais cotidianas, como passar em uma catraca ou sentar em uma cadeira, se transformaram completamente. A mudança física e aparente foi apenas uma parte, mais visível e superficial. A outra transformação foi mental. Perder peso também diminuiu significativamente a minha ansiedade. Compartilhando minha história com as pessoas porque quero mostrar que é possível se transformar. Quero influenciar milhares de pessoas que lutam contra dificuldades, não só as que planejam perder peso. Hoje, sou realizado em poder mover outras pessoas em qualquer direção.”

 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados