Limpeza: Uma arma contra a pandemia

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Yasmin Assagra

Se a saída diária de algum dos integrantes da família se faz necessária, pequenos gestos são importantes antes de retornar ao conforto do lar
Nunca se falou tanto sobre produtos de limpeza. É que eles são essenciais para conter a proliferação do novo coronavírus, principalmente dentro de casa. A fim de ajudar nesta ‘guerra’,  especialista da região explica como as famílias podem agir quando uma das pessoas ainda precisa sair para trabalhar e volta para a casa onde outros moradores estão confinados. A principal dica está na lavagem constante das mãos com água e sabão.
 

Difícil lembrar de todas as medidas necessárias para conter a entrada do vírus em casa, porém, se seguir o básico, a bióloga e gestora do curso de gestão ambiental da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Marta Marcondes, já garante ser uma boa saída para manter toda família fora do perigo. Por isso, ao chegar em casa, é importante, ao sair do carro, lembrar de higienizar volante e porta do veículo. Também não deve tocar nos corrimãos. “Depois disso, os calçados devem ser deixados do lado de fora da casa, ou  estender um tapete com cloro para colocá-los. É importante lembrar de que na rua pisamos em tudo, chicletes, poeiras e matos, então, é preciso ds blindar antes de entrar”, avalia.
Já em questão das roupas, a especialista aconselha tirá-las antes de percorrer pelos próximos cômodos, se possível, na lavanderia já para lavá-las. “Se preferir, assim como uso em casa, deixo a roupa estendida em um cabide para bater sol antes de lavar. O vírus fica em condições para contaminação em vários momentos”, avalia.

Marta também lembra que o vírus pode permanecer vivo em superfície como asfalto ou pisos em residências, de três horas a quatro dias, dependendo de suas condições. Por isso, são tão importantes as práticas para restrição da doença.
 
Para higienização em casa, Marta indica o cloro – média de R$ 7. E na compra de um litro do produto, é possível diluir em porções menores com água, o que, além de higienizar corretamente, rende mais. “O lisoforme também é indicado, porém, o valor é mais alto. Média de R$ 14. Além disso, é fundamental que a casa seja higienizada pelo menos um vez ao dia. Caso o fluxo de pessoas seja maior entre entrar e sair da residência, é importante que se higienize duas vezes", aconselha.
 
Além desses cuidados, a especialista destaca que a água e o sabão sempre serão fundamentais para combate ao vírus, e em seguida, o uso do álcool gel. Lembra, também, de utilizar papel higiênico para abrir portas e apertar botões em elevador. “Tudo é respaldo. Desde o banho quando chega em casa até limpar o seu celular com água e sabão e higienizar as compras do mercado.Medida que sabemos que é o certo. Agora, com a velocidade da pandemia, nos faz pensar duas vezes”, avalia.
Em relação à higiene dos animais, Marta avalia que lenço umedecido nas patas não basta. “Nem todo cão faz suas necessidades dentro de casa. Então, ao retornar da rua, um pano com água e sabão, depois pode até passar o lenço umedecido, mas o importante é lavar a pata”, ressalta.
 
LIÇÃO DE CASA

É com muita leitura, atenção em reportagens na rádio e paciência que a aposentada Celina Alvares, 65 anos, e seu marido, o também aposentado Valter Alvares, 67, tentam seguir com precisão todas as medidas necessárias para não contraírem o novo coronavírus.

Morador do Parque Novo Oratório, em Santo André, e do grupo de risco, o casal, além de desmarcar todos os eventos já programados em igrejas e casas de familiares, também cancelou visitas de amigos e parentes dentro de casa. “Isso só foi o básico. Nós não estamos saindo, pois nossos vizinhos nos ajudam com as compras de mercados e farmácias. Assim que chegam as sacolas, já as coloco na lavanderia e higienizo tudo. Inclusive as sacolinhas plásticas, que eu guardo em uma gaveta”, detalha Celina.

A aposentada também conta que reforçou a limpeza dentro de casa, algo que sempre fez antes, mas agora é mais do que necessário. “Se deixar eu limpo duas, três vezes por dia. Fora a garagem e a calçada também. Uso água com sabão e água sanitária. Entrando em casa já tomo um banho”, reforça. “Todo cuidado é necessário. Nós já estamos no grupo de risco, e nossos vizinhos estão nos ajudando, precisamos também fazer nossa parte”, finaliza.
 
NOS CONDOMÍNIOS
 
O especialista em tecnologia da minhaportaria.com, Walter Uvo, ressalta que a limpeza nos condomínios também é muito importante. Segundo ele, os funcionários da limpeza, por exemplo, devem usar equipamentos de proteção individual, como luvas e máscaras. “Deve-se dar devida atenção à limpeza de maçanetas, corrimãos, halls comuns e elevadores, incluindo equipamentos eletrônicos, como botões de chamadas e teclado de andar, aparelhos biométricos e todo o sistema de acesso. No caso dos elevadores, a orientação é usá-los de forma consciente – a OMS recomendou que as famílias o utilizem sozinhas, evitando pegá-lo quando estiver cheio”, afirma o especialista.

Além disso, o especialista em condomínios da GS Terceirização, Amilton Saraiva, orienta a higienização das mãos antes e depois do uso de áreas comuns e elevadores e também reforça que, para a limpeza geral, necessárias muita cautela e a orientação correta da equipe de limpeza.

“O ideal é a contratação de serviço especializado no qual os profissionais são bem treinados, especificamente para este tipo de trabalho, como os auxiliares de limpeza e de serviços gerais, que recebem um treinamento com instruções teóricas e práticas sobre atendimento e conhecem as técnicas de higienização de ambientes”, sugere Saraiva.
 



Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2020. Todos os direitos reservados